Pular para o conteúdo principal

Saudade

A saudade quando vem, vem bem quietinha. Ela não faz barulho, que é pra eu não saber que ela tá chegando. Me toma de surpresa, e quando menos espero sinto uma falta de ar que começa no peito, e depois sobe pra garganta, e toma todos os meus pensamentos.

Às vezes a saudade começa do abstrato, do maior: o cheiro da cidade; as cores; o barulho do trânsito, a retidão do eixão, as árvores tortas, os debaixo-dos-prédios.
Ela vai então diminuindo... a varanda do quarto, os corredores da UnB, a parede amarela do Interagir (a saudade me surpreende sempre também!), a casa de amigas, a padaria, a sorveteria preferida, a casa, os lugares. Os lugares...

Aí ela vai chegando naquilo que eu não consigo descrever ou mensurar - risadas, abraços, conversas. Danças, caronas, colos, ombros. Festas, forrós, sambas, saias rodadas. Sofás, presenças, árvores com iniciais, andanças em parques, confissões em bares. Estudos de madrugada, brigadeiro antes de dormir, jogos até de manhã, segredos. Risadas soltas, bilhetes trocados, telefonemas eternos. Almoço na beira do lago, cafés que duram várias horas, famílias que se misturam. Vida que se trança inteira, e continua pulsando mesmo de longe.

De longe acho até que pulsa mais.

Comentários

Ju Soleil disse…
pulsa mais mesmo. mas acho que qndo voltamos, aproveitamos mais e damos mais valor a cada um desses momentos, antes simplesmente corriqueiros. sinto tbm que ao morar em mais de um lugar a saudade vai sempre existir. qndo a gente voltar, vai ser a saudade do que estamos vivendo aqui que nos vai invadir... não tem jeito, melhor viver e se acostumar com ela...
Liii disse…
Oiii!

Voce conseguiu expressar todos os sentimentos que eu tambem sinto, mas nunca soube descrever, em um unico post, e nao poderia ter sido mais profundo!

--

Voce sabe fazer pastel? haha
eu tentei outro dia, mas a parada simplismente nao funcionou! :/
Eu cometi um erro na ordem de adicao dos ingredientes, e possivelmente foi o que estragou a massa. Eu dou uma perna por um pastel de palmito! :D
haha

To so esperando o convite pra um cafe acompanhado da lingua portuguesa! ;D

Beijos!
Liii disse…
Heey.

Eu adorei ter feito Jack O' latern mesmo pequenininho...mas queria ter tido a oportunidade de fazer mais pra fazer umas caras engracadas.

Neste Sabado eu trabalho ate a 1 da tarde, depois desse horario eu estou livre. Ate que horas o Farmer's Market fica aberto?
Eu posso ir de carro.

Obaaa, festa brasileira?? \o/
Ai siiim! :D

Eu acabei de descobrir um grupo em Cornell que tocam samba, eles se encontram quase todas as quintas para ensaiar/tocar. Fui la semana passada, mas o povo nao foi...vou tentar ir denovo nesta quinta.
Eu sei que tem alguns brasileiros nesse grupo, mas a maioria sao gringos mesmo. =)

Bom, resumindo, depois da 1 da tarde qualquer horario funciona pra mim.

Beijo!
Van disse…
aii
meu coração ta pulsando apertado agora!

Postagens mais visitadas deste blog

paredes

quando eu engravidei a gente morava em um apartamento de dois quartos que tinha sido reformado pra ser um quarto só - um quarto bem grande, com uma escrivaninha imensa na ponta, uma amplidão que só vendo. e uma das primeiras coisas que pensamos foi: "o bebê vai precisar de um quarto!" (falo sobre essa ilusão em outro post depois, vamos por partes).

começamos então uma pequena reforma pra levantar a parede e dividir o quarto em dois, e esses dias pensei nessa história e lembrei da angústia que isso me deu. lembro de um dia deitar na cama e chorar, me sentindo claustrofóbica e apertada. acho que na verdade aquela parede, além dos enjoos e da barriga crescendo, materializava a mudança imensa que estava acontecendo, toda a transformação que estava por vir. era uma das primeiras concessões que o meu eu-mãe fazia ao bebê, e acho que me fez pensar em todas as outras coisas que eu abriria mão, em tudo que nunca mais seria o mesmo.

hoje, vejo como foi bom eu ter tido esse tempo de c…

passos

filha, hoje eu aprendi que preciso confiar nos seus passos. vc queria atravessar por aí, como seus amiguinhos estavam fazendo com tanta tranquilidade, e eu fiquei te dando a mão. até que vc falou que queria ir sozinha, que vc conseguia, e eu falei que eu tinha medo. tentei pegar sua mão de novo, e vc não deixou. "eu consigo, mamãe." e foi. concentrada, com seu passo pequeno e tão confiante, determinada como vc sempre é. eu fui logo atrás, segurando a respiração e repetindo como um mantra que preciso confiar nos seus passos. vc atravessou, ficou feliz e orgulhosa, e eu também. o coração acelerado, pensando "e se...". mas confiando. assim vai ser, filha, por todo o tempo: eu aprendendo a confiar nos seus passos, nas suas escolhas. sabendo que às vezes vc vai cair e eu vou precisar ser forte pra te amparar. sabendo que muitas vezes vc vai me mostrar ser mto mais capaz do que eu julgo, me ensinando que meu papel é te encorajar e deixar ir. não achei que fosse ser difíc…

desmame

foram mtas tentativas de desmame; teve a vez que a dentista fez terrorismo e disse que as cáries eram da amamentação. e eu acreditei, cheguei em casa de noite e falei que não ia ter peito, e a clarice chorou muiiiiito, e eu chorei muito tb, até desistir depois de 1h e dar mamá pra ela, as duas soluçando e eu abraçando ela forte. eu falava nessa época que queria desmamar, mas não estávamos prontas. teve tb no natal, que ela passou dois dias sem pedir e eu pensei que pronto, tinha desmamado assim, sozinha e do nada. mas, risos, claro que não. teve as vezes que eu quase surtava de madrugada, exausta e irritada. teve a vez no carnaval, que eu tive que ninar ela no colo duas madrugadas, peguei uma gripe braba e desisti pq precisava dormir. e teve a vez que foi, de verdade, o desmame. não teve combinado, não falei que ela era grande (pq ela sempre respondia isso com um gugu-dadá com voz de bebê, falando que era pequenininha), e tb não teve raiva ou surto. era o segundo dia que ela mamava de…