quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Dicas de Bangkok - parte 1

Volta e meia alguém me pede dicas sobre Bangkok, e um tempo atrás eu escrevi algumas coisas que achei que valiam a pena e que nem sempre estão nos blogs e guias turísticos por aí. Resolvi então dar uma ajeitada nas minhas anotações e fazer uns posts bonitinho pra, quem sabe, ajudar futuros viajantes por aí... ;)

Antes das dicas turísticas, umas dicas gerais e aleatórias:

- "Wat" é templo em tailandês, você vai ouvir e ler muiiiito essa palavra por lá;

- BTS é a sigla do skytrain, uma das melhores formas de se locomover na cidade. Bangkok tem o trânsito pesado, horas de engarrafamento... então skytrain e metrô são sempre boas pedidas. Eles costumam ficar bem lotados na hora do rush, mas são fáceis de entender e se virar.

- Os tailandeses no geral gostam muito do Rei, e é crime falar mal dele ou da família real (lesa-majestade, estrangeiros também podem ir presos por isso). Então é bom tomar um certo cuidado com comentários pejorativos, sarcásticos e afins.

- A moeda local é o bath (pronuncia bát), e eu fazia uma conversão beeem mais ou menos de R$1 = 10THB. Lembre de trocar seus bath restantes por dólares antes de voltar, porque não dá pra trocar aqui no Brasil.

- Bangkok tem basicamente 3 estações: quente, muito quente e extremamente quente, então é bom levar roupas leves. Para os templos e lugares reais que não pode entrar de short/bermuda, sugiro aquelas calças fininhas de algodão. Minha calça jeans passou 9 meses guardadinha na mala sem ver a cor do dia. Em compensação, os lugares fechados costumam ter ar-condicionado forte, então um casaquinho leve ou um lenço podem ser úteis também.

- Em quase todos os templos é preciso ficar descalça pra entrar, e muitos lugares têm vários templos, então é bom ir com sapatos fáceis de tirar e pôr. Parece besteira, mas você vai ganhar tempo e economizar preciosas gotas de suor.

- Pra pegar táxi você fala onde quer ir antes de entrar, e espera o motorista dizer se ele te leva ou não. Muitas vezes (muitas mesmo...) eles recusam, e te mandam descer do táxi sem problema caso você já tenha entrado. Se o motorista não quiser ligar o taxímetro e te der um valor fixo, pode pegar o próximo, porque ele provavelmente vai cobrar em média o dobro do que você pagaria com taxímetro.

- As pessoas se cumprimentam com o "wái", colocando as mãos juntas como o "namastê". E falam "sau-a-di-kha".

- Praticamente todas as casas e prédios têm um sapraphun (casa dos espíritos). Eu adorava observar cada uma e ver as pessoas fazendo oferendas também, então recomendo andar atento por Bangkok pra ver. Depois escrevo um post só sobre isso!

Acho que deu de dica geral, tem que deixar alguma coisa pra descobrirem ao vivo também, né?! ;P
Próximo post coloco algumas dicas de passeios e lugares.


na foto: uma sói (ruela), pra mim uma das coisas que mais representa Bangkok

Nenhum comentário: