quinta-feira, 11 de setembro de 2008

des-abafo

Essa semana foi recheada de sensações e sentimentos intensos, de um tanto que ontem, no fim da tarde, eu precisei respirar.

Respirar é um modo de dizer. Eu precisei parar por um segundo ou dois, me distanciar de mim, do meu corpo, da minha casa, meu emprego, meu marido, minha família, minha saudade, meus sonhos e pesadelos, minhas preocupações, ansiedades, meus medos e minhas obrigações... me distanciar de tudo isso, pra poder olhar com olhos de quem vê de longe, e dizer: "caramba!"

Foi essa minha reação quando eu vi os emaranhados todos que tavam (tão) em mim nessa semana embrulhada. Era tanta coisa, e tanta coisa forte, e tanta coisa tão forte e tão próxima, em tempo e espaço, que eu me perguntei, incrédula:

- Como você tá conseguindo lidar com tudo isso?!

A resposta foi simples: eu não tô.

Então eu resolvi respirar, mais fundo dessa vez, e fui dormir. Chega, eu pensei. Tá na hora de descansar.

Isso fez com que a quinta tivesse cara de quarta, e fez com que pelo menos um décimo de tudo que eu tenho pra fazer fosse feito hoje.

Ufa...

Um comentário:

Juliana Seidl disse...

Nath, me identifiquei tanto.
Pois eu preciso respirar algumas várias vezes no mês pra dar conta de mim mesmo e dessa vida maluca!
E fico feliz qndo percebo que as pessoas que eu amo respeitam a minha respiração!